DETALHES DA PUBLICAÇÃO
voltar para as notícias


A Democracia depende da qualidade do Voto.
25/09/2014

No nosso País, vige o voto obrigatório, o que no momento atual do desenvolvimento da nossa democracia, entendo prejudicial à qualificação da própria democracia. O voto pode ser exercido de forma livre, responsável e consciente. Nesse sentido indica - se alguns critérios que podem ser levados em conta para escolher um candidato. O primeiro passo é relacionar ainda que de forma simples as atribuições/poderes do candidato, se eleito for, com os valores, interesses, sejam pessoais, profissionais, da comunidade, da cidade, do Estado da Federação, e do País. Candidato que promete fazer algo que não está ao alcance de suas atribuições e/ou poderes não merece crédito. A relação também está vinculada as preferências de cada eleitor, que em tese saberá identificar qual (is) candidato está alinhado com as suas preferências. Em segundo lugar é importante conhecer a atuação profissional, o histórico de vida, a postura ética e a conduta social do candidato, comparando a prática com o discurso do candidato, graves incongruências desqualificam o candidato. Em terceiro lugar é necessário filtrar, analisar as promessas do candidato, sob a ótica da viabilidade, ainda que forma indutiva. Proposta muito genérica, e/ou messiânicas, sem dizer como, qual prazo, quais são os procedimentos, qual a origem dos recursos, etc.; obviamente são inviáveis de cumprir. O quarto critério é, quais são os financiadores do candidato, pois as pessoas e empresas que financiam as campanhas eleitorais têm interesses que podem divergir das preferências e interesses do eleitor. Bem, sabemos que atualmente o acesso à informação é imensamente mais amplo do que anteriormente a existência da Internet, sugerimos abaixo alguns sites onde se obtém informações sobre os candidatos políticos. O voto consciente é possível, basta um pouco de empenho do eleitor, para construir uma representação política de mais qualidade, em benefício da democracia, e de toda a sociedade.

www.tse.jus.br;www.transparencia.org.br; www.asclaras.org.br; www.diap.org.br; www.institutoagora.org.br;
www.mcce.org.br

Fábio Böckmann Schneider. Diretor da Böckmann Advocacia.


WebCool