DETALHES DA PUBLICAÇÃO
voltar para as notícias


O Brasil, e o aprendizado com a Copa Mundial de Futebol.
14/05/2014

Muito já foi dito, escrito e analisado acerca desse assunto, que com certeza ainda renderá muitas manchetes pela imprensa mundial, sejam esportivas ou não. Acredito que o assunto em muitos aspectos foi sobrevalorizado, em outros subvalorizado, fruto de certas incompreensões. O assunto ao meu sentir é fundamentalmente esportivo, de congraçamento, porque não dizer essencialmente diversão para aqueles que torcem para os times selecionados, que representam os 32 países competidores. Não resta dúvida que para as pessoas envolvidas profissionalmente no evento, sejam de forma direta ou indireta, é trabalho, meio de vida, enfim as condições e realizações que proporcionam ao agente laboral. Ocorre que o assunto Copa do Mundo tem sido utilizado das mais variadas formas, e com os mais variados objetivos, por diversos atores sociais e políticos. Não se pode negar as enormes repercussões financeiras, sociais, jurídicas e políticas do evento, já debatidas, e até mesmo utilizadas para mobilizações de populares no nosso País. Sem necessariamente concordar, ou discordar do já foi dito ou feito em nome do evento, ou contra o evento, trago para reflexão mais uma possibilidade de abordagem do tema, qual seja o efeito pedagógico, as possibilidades de aprendizado, e aprimoramento, e ao mesmo tempo a visibilidade das deficiências e dificuldades sejam institucionais, coletivas e individuais dos brasileiros. Bem, é sabido e propalado; que dificuldades também são oportunidades. Nesse sentido que acredito que o maior legado que pode ser aproveitado pelas instituições e pelos brasileiros são as oportunidades de aprendizado e crescimento decorrentes dos desafios de sediar o maior evento global de todos os tempos. Claro, que as melhorias na infraestrutura e em outros setores são relevantes, mas em que pese o turismo ser o principal mote, para o país que sedia o mundial, e nesse aspecto comparativamente com outros países, o Brasil atrai um número pequeno em relação as suas potencialidades, menos que uma cidade, Paris na França. Ao final para ser conciso, desejamos boas vindas a todos, para que possam usufruir da nossa hospitalidade e serviços, torcer e se divertir com segurança e tranquilidade, na copa que dura somente um mês, e levar boas lembranças do nosso Brasil, exceto a taça que espero que seja nossa pela sexta vez, o país do melhor futebol, com certeza pode realizar, e irá realizar um grande evento, essa é a nossa torcida e desejo.
Fábio Böckmann Schneider. Diretor da Böckmann Advocacia.


WebCool